)

Produção onshore chega a 80 mil barris por ano até 2021

A cadeia produtiva do petróleo e gás potiguar representa, atualmente, 45% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial do Estado, de acordo com a federação das Indústrias do Rio Grande do Norte. E, em Mossoró, projeções apresentadas no Mossoró Oil e Gas Expo, evento realizado pelo Sebrae no Rio Grande do Norte e Redepetro RN apontam que esse percentual deverá aumentar nos próximos anos. Fatores como a exploração de campos maduros pela iniciativa privada e investimentos a partir do Programa de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural em Terra (REATE 2020), do Governo Federal, a expectativa é, nos próximos dois anos, dobrar a produção que, atualmente atinge a marca de 40 mil barris ao ano.

Tal otimismo deu a tônica dos discursos na abertura do evento, na tarde desta terça-feira, 26, no Expocenter, na Ufersa, e é compartilhado por toda a cadeia produtiva do petróleo e gás, especialmente na região de Mossoró, onde estão localizados os 750 poços de petróleo adquiridos pela Potiguar E&P, no Riacho da Forquilha, e demais blocos adquiridos por outras empresas da iniciativa privada na região da Costa Branca e no município de Macau.

O diretor superintendente do Sebrae RN, José Ferreira de Melo Neto, elegeu o atual modelo de exploração, com a entrada da iniciativa privada, como uma das melhores iniciativas em prol da cadeia produtiva, trazendo estímulo à geração de renda e de novos negócios.

“Esse é o melhor modelo para a exploração no Estado, porque envolve e dá oportunidades muito maiores, envolvendo toda a cadeia, e isso vai estimular uma nova geração de empreendedores. Por isso apoiamos, incondicionalmente esse evento, que traz discussões tão importantes e da mesma forma o Reate 2020, pois trará mais crescimento econômico”, enfatizou.

Para o representante da Agência Nacional de Petróleo, Aurélio Amaral, que no evento representou o Governo Federal, os novos moldes de exploração e efetivação do Reate 2020 significam o “renascimento” do setor, principalmente no Estado, maior produtor de petróleo em terra (onshore) do país.

“Todo esse esforço de recuperação da exploração e produção de petróleo onshore significa geração de emprego, renda e o renascimento do segmento, tão significativo para o Brasil e, especialmente para o Rio Grande do Norte e Mossoró e região, em especial. Muito em breve teremos uma produção recuperada, assim como os empregos do setor e fortalecimento de toda a cadeia”, destacou.

Reconhecimento
Durante a abertura do Mossoró Oil e Gas, que segue até quinta-feira, 28, o presidente da Redepetro RN, Gutemberg Dias e o superintendente do Sebrae RN Zeca Melo, entregaram ao diretor executivo da Associação Brasileira de Produtores Independentes de Petróleo (ABPIP) Anabal Santos e ao ex secretário nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do, Márcio Félix, comendas em reconhecimento à contribuição dada para a construção do novo momento vivido pela bacia potiguar e o segmento do petróleo e gás no estado.

“Esse evento marca um novo momento do onshore potiguar, com a retomada das atividades no Estado pela iniciativa privada. E nada melhor do que reconhecer aqueles que têm papel fundamental nessa caminhada, frisou Gutemberg Dias. Nesta quinta-feira, o Mossoró Oil e Gas Expo segue com vasta programação dedicada às discussões em torno de temas de interesse da cadeia produtiva do petróleo e gás, com painéis nacionais e estrangeiros, exposição e Rodada de Negócios realizada pelo Sebrae RN que reunirá mais de 150 encontros de negócios.


Fonte: Agência Sebrae de Notícia
 

  Revista Negócios
 Veja Também